João Gilberto – Chega de saudade

Letra original / traducida

Chega de saudade

Vai minha tristeza
E diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade
A realidade é que sem ela não há paz
Não há beleza, é só tristeza e melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim

Vai minha tristeza
E diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela não há paz
Não há beleza, é só tristeza e melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

Autores de la canción: Vinicius De Moraes / Antonio Carlos Jobim
Letra de Chega de saudade © Bendig Music Corp


Vete a mi tristeza
Y dile
Que sin ella no puede ser
Dile en una oración que vuelva
Porque no puedo sufrir más

Me cansé de anhelar
Lo cierto es que sin ella no hay paz
No hay belleza, es solo tristeza y melancolía
Que no me deja, no me deja, no me deja

Pero si ella vuelve, si vuelve
Qué cosa linda qué cosa loca
Porque hay menos pececitos nadando en el mar
Que los besitos que le daré en la boca

Dentro de mis brazos
Los abrazos serán millones de abrazos
Así de apretado, así de pegado, así de callado
Abrazos y besitos y cariños sin fin
Que es para acabar con ese asunto de vivir lejos de mí

Ve a mi tristeza
Y dile
Y dile que sin ella no puede ser
Y voy a amarlos a todos
Porque no puedo sufrir más
Me cansé de anhelar
La realidad es que sin ella no hay paz
No hay belleza, es sólo tristeza y melancolía
Que no me deja, no me deja, no me deja

Pero si ella vuelve, si vuelve
Qué cosa bonita, qué cosa loca
Pues hay menos pececitos nadando en el mar
Que los besitos que le daré en la boca

Dentro de mis brazos
Los abrazos serán un millón de abrazos
Así de apretado, así de pegado, así de callado
Abrazos y besitos y cariños sin fin
Que es para acabar con este asunto de vivir lejos de mí
No quiero más ese asunto de que vivas así
Acabemos este asunto de que vivas sin mí

También te puede gustar

Compartir...

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

© 2021 LetrasTraducidas.org | Aviso Legal | Política de Cookies | Feed RRS | Contacto